Páginas

quinta-feira, 16 de agosto de 2012

AUXÍLIO DOENÇA ACIDENTÁRIO E AUXÍLIO-DOENÇA:


AUXÍLIO DOENÇA  ACIDENTÁRIO E AUXÍLIO –DOENÇA :

 O auxílio-doença é o benefício pago pelo INSS, a  partir do 16º dia de afastamento do trabalho. Ele é pago mensalmente enquanto durar a incapacidade para o trabalho. Portanto ele pode ser previdenciário (sem relação com o trabalho) ou acidentário (resultante de um acidente de trabalho).



 A incapacidade para o trabalho precisa ser comprovada pelo perito do INSS.



Esse benefício pode ser concedido de duas formas:

- em virtude  de acidente do trabalho ou doença ocupacional  (acidentário);

- e em razão de doença que incapacita para o trabalho(previdenciário).

Os dois benefícios são iguais quanto ao valor pago, isto é a Previdência Social paga 91% (noventa e um por cento) da media dos 80% (oitenta por cento), maiores salários do trabalhador desde 1994.



Os dois benefícios tem diferentes efeitos, assim:

O  auxílio-doença acidentários- espécie 91, gera os seguintes direitos:

- estabilidade de um ano a partir da alta do INSS;

- depósitos no FGTS durante todo o período .

O auxílio-doença  previdenciário (decorrente da doença) – espécie 31, gera os seguintes direitos:

- estabilidade de até sessenta dias a partir da alta do INSS;

-não tem direito a depósitos no FGTS de afastamento.

Destarte, quanto o trabalhador adquire uma doença em razão da função trabalhada, sofre um  acidente do trabalho ou adquire uma doença  que não tem relação com o trabalho que o mantenha afastado por mais de quinze dias.  Será  comunicado pela perícia  do INSS se o benefício concedido e da espécie 91  (auxílio-doença decorrente de acidente do trabalho)  ou se o benefício concedido e da espécie 31 (auxílio-doença previdenciário).

Quem tem direito:

Todos os segurados têm direito ao auxílio-doença previdenciário.

O auxílio-doença acidentário é devido somente ao empregado (exceto o doméstico), trabalhador avulso e segurado especial.

Os primeiros 15 dias de afastamento do trabalhador empregado são pagos pelo empregador. Após esse  prazo, se não recuperar a capacidade para o trabalho, o segurado passa a receber o benefício pelo INSS.

Não tem direito ao auxílio-doença quem, ao se filiar à Previdência Social, já tiver doença ou lesão que geraria o benefício, a não ser quando a incapacidade resultar do agravamento da enfermidade.

Carência:

Para ter direito ao auxílio-doença, o trabalhador precisa contribuir para a Previdência Social por, no mínimo, 12 meses anteriores à data da concessão do benefício, sem perda da qualidade de segurado.

Esse prazo não será exigido em caso de acidente de qualquer natureza ou de doença profi ssional ou do trabalho, desde que o acidente ou a doença ocorram após a filiação à Previdência.

O trabalhador rural deve comprovar o exercício de atividade rural no mesmo número de meses correspondentes ao número de contribuições exigidas dos demais segurados para a concessão do benefício.

Observação:

Ao emitir parecer contrário ao benefício, com base na legislação, o perito médico não indica a inexistência de uma doença.   Declara que o segurado é capaz de realizar a atividade laboral.



Como fazer para conseguir o benefício?

A pessoa deve comparecer à agência da Previdência Social mais próxima de sua residência ou ligar para 135 solicitando o agendamento da perícia médica.          É indispensável Carteira de trabalho ou documentos que comprovem a sua contribuição ao INSS, além de declaração ou exame médico (com validade de 30 dias) que descreva o estado clínico do segurado.

Fundamento legal:

C onstituição Federal artigo 201, 1:

Art. 201. A previdência social será organizada sob a forma de regime geral, de caráter contributivo e de filiação obrigatória, observados critérios que preservem o equilíbrio financeiro e atuarial, e atenderá, nos termos da lei, a: (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 20, de 1998)

I - cobertura dos eventos de doença, invalidez, morte e idade avançada; (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 20, de 1998)



Artigos 59 à 64 da Lei 8.213/91:

Subseção V
Do Auxílio-Doença

Art. 59. O auxílio-doença será devido ao segurado que, havendo cumprido, quando for o caso, o período de carência exigido nesta Lei, ficar incapacitado para o seu trabalho ou para a sua atividade habitual por mais de 15 (quinze) dias consecutivos.

Parágrafo único. Não será devido auxílio-doença ao segurado que se filiar ao Regime Geral de Previdência Social já portador da doença ou da lesão invocada como causa para o benefício, salvo quando a incapacidade sobrevier por motivo de progressão ou agravamento dessa doença ou lesão.

Art. 60. O auxílio-doença será devido ao segurado empregado a contar do décimo sexto dia do afastamento da atividade, e, no caso dos demais segurados, a contar da data do início da incapacidade e enquanto ele permanecer incapaz. (Redação dada pela Lei nº 9.876, de 26.11.99)

§ 1º Quando requerido por segurado afastado da atividade por mais de 30 (trinta) dias, o auxílio-doença será devido a contar da data da entrada do requerimento.


§ 3o Durante os primeiros quinze dias consecutivos ao do afastamento da atividade por motivo de doença, incumbirá à empresa pagar ao segurado empregado o seu salário integral. (Redação dada pela Lei nº 9.876, de 26.11.99)

§ 4º A empresa que dispuser de serviço médico, próprio ou em convênio, terá a seu cargo o exame médico e o abono das faltas correpondentes ao período referido no § 3º, somente devendo encaminhar o segurado à perícia médica da Previdência Social quando a incapacidade ultrapassar 15 (quinze) dias.

Art. 61. O auxílio-doença, inclusive o decorrente de acidente do trabalho, consistirá numa renda mensal correspondente a 91% (noventa e um por cento) do salário-de-benefício, observado o disposto na Seção III, especialmente no art. 33 desta Lei. (Redação dada pela Lei nº 9.032, de 1995)

Art. 62. O segurado em gozo de auxílio-doença, insusceptível de recuperação para sua atividade habitual, deverá submeter-se a processo de reabilitação profissional para o exercício de outra atividade. Não cessará o benefício até que seja dado como habilitado para o desempenho de nova atividade que lhe garanta a subsistência ou, quando considerado não-recuperável, for aposentado por invalidez.

Art. 63. O segurado empregado em gozo de auxílio-doença será considerado pela empresa como licenciado.

Parágrafo único. A empresa que garantir ao segurado licença remunerada ficará obrigada a pagar-lhe durante o período de auxílio-doença a eventual diferença entre o valor deste e a importância garantida pela licença.


Dr. Hermes Vitali

46 comentários:

  1. TENHO UMA CLIENTE QUE SOFREU ACIDENTE DO TRABALHO E FICOU AFASTADA PELO INSS.
    OCORRE QUE RECEBEU A REABILITAÇÃO PROFISSIONAL E TEVE O CÓDIGO ALTERADO PARA 31, ALÉM DISSO, NÃO ESTA SENDO PAGO PELO INSS OS 50% A QUE FAZ JUS.
    QUAL A MEDIDA CABÍVEL.

    ResponderExcluir
  2. Ola MEU NOME É VANESSA. Gostaria de saber uma coisa, fiquei afastada pelo inss durante 2 meses, peguei tendinite e bursite no meu braço. Quando voltei eu pedi para eles me mandarem embora so que eles me disseram que nao poderia por que eu tinha estabilidade de 1 ano porém eu vi ate mesmo ai no site de voces que para o meu problema não tem estabilidade o numero de especie é 31 . Auxilio Doença. esta certo então eles podem me mandar embora pois ja se passaram meses eu voltei a trabalhar em novembro de 2012. e quero muito sair da empresa aonde eu trabalho eles podem então me mandar embora?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Na verdade seu caso era o Cod. 91 acidente decorrido pela empresa, ela colocou o 31 na sacanagem pq vc não correu atrás dos seus direitos para fazer a CAT comunicação acidente de trabalho,a empresa perde muito com o empregado acidentada na mesma, além de ter que pagar fisioterapia,medicamentos e além de perde ponto em acidentados na empresa, por isso que eles não dão sua demissão porque vai gerar uma multa alta empresa, guarde seus laudos médicos e consulte um advogado isso e causa ganha!

      Excluir
  3. Olá tudo bem meu nome é Rodrigo eu sofri um acidente de trabalho quebrei o braço em dois lugares passei por cirurgia e passei por pericia medica levei todos os documentos inclusive o CAT fui afastado com o beneficio de auxílio doença espécie: 91 gostaria de saber se eu ficar com alguma sequela eu tenho direto a qual beneficio no futuro? Desde já Obrigado.

    ResponderExcluir
  4. oi meu nome é roberto miguel sofri um acidente de moto quando retornava do trabalho para casa e ja estou afastado a 4 meses e recebi o beneficio de numero 31 esta correto isso?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Companheiro, como você estava retornando para casa, após o trabalho, você sofreu acidente de trabalho código 91, e não 31 que trata de acidente previdenciário(outra origem), ou seja, é outra coisa. Aconselho a você providenciar mudar este código para 91, para não se prejuducar mais na frente, no caso de acionar a empresa pedindo indenização moral por acidente de trabalho que sofreu.

      Excluir
    2. Acidente de trajeto ou percurso e Código 91!

      Excluir
  5. Oi meu nome é Maria da Glória comecei a trabalhar em junho de 2007 com contrato na prefeitura como bordadeira ,em agosto de 2008 tive tendinite ,bursite e capsulite adesiva meu braço nem saia do lugar fui no INSS me deram um mes para recuperar ,mas continuava a doer eu vivia de atestado medico .Quando foi em dezembro de 2012 mudou oprefeito perdi a emprego como eu estava e estou ainda segurada pelo inss meu ortopedista falou que tenho que ficar de repouso e fisioterapia fis pericia me deram 3 meses agora cortaram meu beneficio.fiz outra resonãncia deu tendinite supra espinhoso e bursite ombro direito e equerdo degenerativa me deram auxilio 31 que eu faço tenho algum direito porque não consigo emprego que no meu caso o que eu sei fazer é costurar cortar cabelo fiz um curso de cabelereira .não consigo emprego em nada do que sei fazer ,vou faço teste com dois dias não consigo nem mexer os braços me ajudem o que que eu faço . meus remedios são todos comprados o sus não tem elesaté o serviço de casa ta dificil de fazer me ajudem por favor obrigada

    ResponderExcluir
  6. Boa noite! E no caso do segurado ser afastado com o código 91 e mesmo assim o empregador resolver dispensá-lo sem justa causa? Qual o procedimento da empresa nesse processo, isto é, haveria algum tipo de multa ou algo assim?

    ResponderExcluir
  7. minha carteira foi baixada em fevereiro de 2013 (dispensa sem justa causa) em março fiz uma cirurgia no ombro e fui afastada por 7 meses com codigo 91, estou sem pagar a contribuição nesse periodo, quando acabar o afastamento devo voltar a pagar?

    ResponderExcluir
  8. Bom dia Dr.Hermes Vitali,

    No que diz respeito aos efeitos do auxílio-doença previdenciário (decorrente da doença), quando o Sr. diz que há uma estabilidade de até sessenta dias a partir da alta do INSS, qual seria a fundamentação legal? Não estou conseguindo localizar.Obrigada

    ResponderExcluir
  9. Oie, sofri acidente de percurso e o inss me encostou pelo código 31 e não 91, voltei ao trabalho em julho mas ainda estava em tratamento essa mês fiquei sabendo pelo meu médico qeu o meu caso não tem operação,essa deformidade ficara para o resto da vida, quero pleitear junto a previdencia o auxilio acidente como fasso para requerer e o código de espécie 31 atrapalhará no meu pedido?

    ResponderExcluir
  10. em 2008 sofri um acidente de trabalho afastei e voltei no mesmo ano trabalhar sempre com dor e em 2011 afastei da empresa como auxilio doença retornei a empresa e sai de ferias e voltei trabalhei uns dia e me deram outra ferias apos o retorno me mandaram embora que direito tenho estabilidade

    ResponderExcluir
  11. Ola ... Meu Nome é Rodrigo e estou perdendo o movimento das minhas mãos devido ao trabalho de desenvolvo. gostaria de saber qual o beneficio que preciso procurar e qual valor receberei. Obrigado

    ResponderExcluir
  12. BOA TARDE!!
    PESSOAL GOSTARIA DE SABER SE A PESSOA QUE ESTA COM PRESSÃO ALTA
    SE APOSENTA, E TEM RITIMIA CARDIACA, E LIGAMENTOS DO JOELHO CRUZADO ESTOURADO,
    E DESVIO DE PATELA, CONDROMACIA PATELAR,ARTROSE. AGUARDO

    ResponderExcluir
  13. DIREITOS DO TRABALHO???
    Perdi a audição TOTAL do ouvido direito e perda parcial ouvido esquerdo, fui afastado do trabalho e recebi auxílio-doença durante 11 meses. Retornei ao trabalho fora da minha função devido as sequelas permanente, já que eu trabalhava debaixo de uma panela com 250 toneladas de aço com Mil Seiscentos e Vinte (1.620º) graus de temperatura e uma falha de comunicação de minha parte poria em risco todo equipamento e a extinção da minha vida e de vários companheiros . Por isso fui afastado e perdi duas promoções que triplicaria o meu salário. " Por Lei o INSS deveria me pagar Auxílio Acidente imediatamente após o Auxílio Doença". SÓ que: Mesmo tendo dado entrada no Processo e tendo o nexo causal comprovado pela "JUSTIÇA" Sentença, Acordão e Laudo de 5 Otorrinos, eu jamais consegui receber o BENDITO AUXÍLIO ACIDENTE. Diga-se de passagem; este Processo está TRAMITANDO HÁ 27 ANOS e eu nunca recebi nada. Como eu nunca ganhei nada, não tenho nada a perder. Portanto me desculpem, más vou continuar atirando pra todo lado, tenho mais de 60 anos e meu tempo está acabando.

    ResponderExcluir
  14. Amigo, trabalho numa empresa a 8 anos que nos últimos tempos devido uma perseguição claramente do meu chefe comecei nos últimos dia senti-me mal com febre, tonturas e dores musculares, ia todos os dia no medico consulta para ver o que estava acontecendo comigo e ninguém sabia o que estava acontecendo comigo até que um dia eu parei o carro na rua pq me deu um branco e já não sabia onde estava, fui parar no medico que me encaminhou para um psicologo que diagnosticou stress cid f43 me encostando. Bom, a empresa não me deu o cat e entrei no inss com código 31. O que devo fazer? não quero mais voltar pra lá devido meu estado de saúde que não vem de mim e sim do meu organismo, Devo processar a empresa por causa do meu chefe? preciso de uma orientação.

    ResponderExcluir
  15. Oi, gostaria de tirar uma duvida, tenho um colega de trabalho, que sofreu um acidente de trajeto na empresa anterior, a que trabalhamos e ficou com sequelas, e ao fazer o exame admissional nao informou que havia sofrido esse acidente, no decorrer do tempo ele sofreu outro acidente mas so teve escoriacoes, mas fora do horario de trabalho e tambem nao foi acidente de trajeto, mas ele saiu de INSS normalmente, o primeiro deferimento se deu no cod 31 o segundo tbm, ja no terceiro foi deferido com o cod 91 bem como o quarto deferimento, mas nao foi gerada CAT. A pergunta e: qual a responsabilidade da atual empresa, quanto ao acidente e a sua estabilidade, se o acidente ocorreu na empresa anterior, mesmo assim ele tera q ficar na empresa por um ano? Ou temos como resolver de outra maneira

    ResponderExcluir
  16. Olá,meu nome é Aline sofri um acidente do trabalho mais quem concedeu foi o perito do inss quase depois de um ano o problema continuou e passou para o outro braço e ganhei novamente a especie 91,passei po uma pericia agora e foi negada mais o braço continua a mesma coisa o que devo fazer???
    E a firma onde eu trabalho nunca me chamou para avisar nada sobre o acidente,eu não abri o cat e que eu saiba eles também não abriram o que devo fazer também???
    obrigada!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aline , è assim mesmo o INSS ta dando alta pra todo mundo vc pode levar carta do medico exames para eles não vale nada os peritos ganham um salario por fora só para negar o beneficio na verdade INSS è uma máfia.. quanto a cat pode pode conseguir ela no sindicato eles preenche a cat. pra vc estou a 7 anos afastado já passei por tudo isso...

      Excluir
    2. vai no seu sindicato eles vão marcar com o medico deles e o próprio medico faz a cat. quanto a empresa não esta nem ai pro funcionário o funcionário só e bom enquanto está lá trabalhando para eles qualquer duvida meu email rafael-cayres@hotmail.com

      Excluir
  17. Adqueri minhas doenças dentro da empresa.Depresão, muita ansiedade e transtorno bipolar.Foram10 de trabalho e eles me mandaram embora sem justa causa E hoje já estou com 50 anos.Consequi auxílio doença(31), mas era para ser auxílio doença (91), mesmo sem a CAT. O que faço para mudar para o 91 Desde já agradeço WAGNER

    ResponderExcluir
  18. Bom dia, meu nome é Antonio, estou encostado desde 2005, pois acidentei na empresa que trabalho, coluna Lombar trauma e hérnias discais, mas na época o enfermeiro do trabalho não deu entrada na CAT, por descuido ou para tirar a responsabilidade da empresa, fiz inúmeras perícias, tive altas mas recorri judicialmente, ganhei todas na justiça federal, daí o Juiz em 2013, viu que a competência era da Justiça comum, aí eles fizeram a correção de 31, para 91 Auxilio Doença Acidentário, tive que entrar na justiça para ganhar tutela e receber 01 ano que fiquei sem receber, uma sacanagem do INSS, pois estou sem condições porque a lesão foi grave, nesse tempo se vão 09 anos em agosto 2014, será que posso pedir aposentadoria por acidente de trabalho? posso pedir uma correção do pagamento, uma equiparação salarial, pois ficou defasado, espero uma orientação, obrigado.

    ResponderExcluir
  19. olá,estou com 5 hérnias de disco na cervical e bursite no ombro esquerdo.Meu trabalho sempre foi fazendo muito esforço físico (carregando peso).
    No requerimento a empresa declarou cod.:31,já passei pelo perito do INSS e foi dado entrada como auxílio-doença.O q devo fazer? uma vez q adquiri estes problemas na empresa.

    ResponderExcluir
  20. Prezados,
    Alguém pode me informar a fundamentação legal da informação acima "estabilidade de até sessenta dias a partir da alta do INSS" para os casos de auxílio doença previdenciário??

    ResponderExcluir
  21. Olá, qual o critério para enquadrar o auxílio doença no número 91 ou 31? Obrigada.

    ResponderExcluir
  22. Boa tarde.
    recebo auxilio doença acidente trabalho 91 fas 10 anos eles podem cortar meu beneficio?estou em reabilitaçao proficional
    rodrigogasmais@bol.com.br agradeço desde ja

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rodrigo depois que vc pega o certificado de reabilitação eles vão cortar seu beneficio esse certificado não vale pra nada me reabilitei a 2 anos ate hoje estou parado.....

      Excluir
  23. qual código o Inss deverá registrar o CAT, no caso de assédio moral....seria o 31 ou 91.

    ResponderExcluir
  24. Sofri um acidente de trabalho e fraturei o braço esquerdo em 11/10/2013 fiquei afastado até dia 28/01/2014. Porém em decorrência da lesão sofrida terei que me afastar novamente para realizar uma cirurgia corretiva no mesmo local aonde fraturei o braço e terei que me fastar novamente.
    Gostaria de saber se esse novo afastamento também será considerado acidente trabalhista?
    Obrigado

    ResponderExcluir
  25. Sérgio
    Boa tarde.
    Por favor estou precisando de uma ajuda.
    O empregado de uma micro-empresa que estar afastado a mais de 3 anos e recebendo o auxilio doença pela a previdência social e hoje foi concedida a aposentadoria por invalidez previdenciária com o código 32.
    a empresa tem que continuar a depositar os 8% do FGTS?

    ResponderExcluir
  26. tenho hernia de disco lombo sacra,adquirida na empresa devido a pegar muito peso,pode ser considerado como acidende de trabalho.

    ResponderExcluir
  27. Boa tarde,
    Em 2013 sofri um acidente em casa e fraturei os dois tornozelos fratura de pilão tibial bi-lateral, atualmente tenho 13 pinos e duas placas no tornozelo esquerdo e apos ficar com duas gaiolas circulares na perna direita fiquei com dois pinos internos.
    Fiquei afastado pelo INSS Cod.31 por 7 meses, retornando ao serviço, porem com restrições médicas.
    Após fazer 6 cirurgias, perdi um pouco dos movimentos dos pés, fiz varias sessões de fisioterapia particular, e o ganho de mobilidade chegou ao limite do organismo.
    Atualmente meus tornozelos D/E estão super inchado e sinto dores constantes, o caso esta se transformando em artrose.

    Preciso de uma orientação, pois ao consultar um terceiro medico recebi a orientação que quanto menos eu andar, melhor sera minha vida no futuro. Atualmente tenho 32 anos.

    Minha dúvida é se posso pedir algum auxilio ao INSS?

    Certo da vossa atenção.

    Nathan

    ResponderExcluir
  28. Ao entrar no trabalho, antes mesmo de iniciar minhas atividades, mas, dentro da empresa, cai, senti dores no joelho, meu patrão me socorreu e levando-me ao hospital foi diagnosticado luxação e o médico deu repouso de 7 dias.
    Meu patrão disse que este caso não gera CAT por ser apenas 7 dias de afastamento sem ter a necessidade de acionar o auxilio, é isso mesmo? Ainda estou em contrato de experiência, ou seja, se não renovar o contrato estou sem benefícios ou estabilidade?
    Grato,
    Caio

    ResponderExcluir
  29. Prezado (a)

    Uma pessoa que sofreu acidente de trabalho, foi feito a CAT , afastou-se da empresa recebeu auxílio doença por acidente de trabalho, o benefício foi suspenso a pessoa recorreu da decisão, o benefício foi concedido porém está constando espécie 31 está correto, o que devo fazer para alterar para espécie 91.
    Joilson

    ResponderExcluir
  30. Bom dia!! Meu Nome é Carlos sou Motorista de Ônibus estou encostado por codgo 91 e ja tive mais de 7 pericia e na ultima agora a medica me deu reabilitação na empresa, e não tem data para esse retorno, esta assim na previdência 00/00/0000 o que faço? e a empresa me disse que não ia me aceitar de volta, o que vai acontecer? ja faz 2 anos que estou afastado por acidente de trabalho e eu recebo 13° da INSS quais os direitos eu tenho....

    ResponderExcluir
  31. Bom dia, meu nome é Valdemir sou motorista carreteiro, sofri um infarto dia 7 de dezembro, fiz uma cirurgia e coloquei 3 ponte de safena e fiquei pelo inss por 4 meses e meio, e agora eles me cortarão, e mandaram eu passar pelo médico da empresa para retornar ao trabalho, mas no médico deu inapto, eles não me aceitam de volta pro trabalho, e me mandaram de volta pro inss de novo, mas já fui negado 2 vezes, e a empresa não me aceita tbm de jeito nenhum, agora eu só consigo marcar pericia só em julho, e vai comecar tudo de novo como se fosse a primeira pericia. E eu não recebendo nem da empresa e nem do inss, Obs: estou registrado pela empresa. Queria saber o código da minha doença? e se for o código 31, eu poderia estar mudando? E quanto ao dinheiro, alguém tem que me pagar? Quem?
    Espero respostas, obrigado!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa noite, sou Técnico de Segurança do trabalho. Infelizmente no seu caso a espécie é 31 mesmo. Infarto não é considerado acidente de trabalho, pois já era uma predisposição do seu organismo independendo de meios oferecidos pela empresa para evitar ou reduzir as chances deste fato ocorrer. Só poderia ser revertido para espécie 91 caso ao sofrer o infarto, exercendo sua função como motorista você viesse a sofrer um acidente de transito por exemplo, aí neste caso o acidente de trânsito seria o acidente de trabalho. O que a empresa pode fazer por você é tentar reabilita-lo em outra função. Sei que como motorista você está exposto a grande estresse, se você conseguir uma boa defesa para contestação alegando isto talvez consiga ganhar.

      Excluir
  32. Meu pai teve acidente de trabalho em 2009 e desde então encontra-se "encostado" pelo inss, apresentou a CAT e todos os atestados e documentos necessários, porém consultei o benefício dele e constatei que o auxílio é de espécie 31 (doença), isso está correto? acredito que o correto seria o auxílio de espécie 91 (acidente).

    ResponderExcluir
  33. sofri um acidente no trabalho ao cair de uma escada a empresa me socorreu e levando-me ao hospital foi diagnosticado luxação e o médico deu repouso de 5 dias. Apos a investigação de acidente no trabalho o que vai me garantir o codigo 91?

    muniz.alberto@gmail.com

    ResponderExcluir
  34. gostaria de saber se a empresa que trabalho vai atualizar meu salario estou no beneficio 91 a mais de 5 anos quando eu voltar ou me aposentar meu nome e david grato

    ResponderExcluir
  35. Sofri acidente 04/julho/2013, periodo paralizacao dos medicos contrarios vinda medicos cubanos. Nao recebi cirurgia necessaria e fui engesssado 13/agosto/2013. Recebo beneficio cod 31 e vou fazer ressonancia e depois voltar marcar cirurgia. Completo 60 anos de idade e nao terei condicoes de voltar a exercer minhas atividades (estofador). Pergunto: Terei direito aposentadoria invalidez ou farei reabilitacao para buscar trabalho nesta idade?

    ResponderExcluir
  36. ola queri saber como que funciona e quanto vo receber de auxilio acidente meu medico me deu 60 dias de atestado fiz a pericia dia 25/08/2014 ja faz 11 dias e n recebi como que vo receber este valor porque o medico uqe me atendeu não me falo nda sobre quando vo receber e como que vo receber se puder me ajudar agradeço

    ResponderExcluir
  37. ola meu nome e elisangela adquiri em maio um problema de tendinopatia com provavel rupture parcial intra substancial do supra espinhoso e bursite subacromial subdeltoidiana.foi dado pelo inss o numero 91 voltei em agosto de 2013 trabanlhei ate agosto de 2014 entrei de licenca o inss me deu numero 31.a pergunta e :porque essa diferenca? pois o primeiro foi dado acidente de trabalho se a doenca foi adquirida la e so se agrava ao passar do tempo.
    por favor meu email e anel.0505@hotmail.com me responda no email também.

    muito obrigada


    ResponderExcluir
  38. Boa Noite,
    Apos 2 anos meio desempregada e sem recolher INSS, em Maio fui contratada por uma empresa. Porém, infelizmente no inici de Setembro precisi me submeter a uma grande cirurgia na coluna. Gostaria de saber :
    1 Irei receber bneficio do NSS no periodo que ficar afastada (provvelmente 90 dias)
    2 Ao retorrnara terei 60 dias de estabilidade ou posso ser demitida imediatmente ?

    Grata
    priscila.sanches@outlook.com

    ResponderExcluir
  39. Boa tarde!
    Em 2009 sofri uma queda no meu trabalho, comuniquei ao meu superior que me enviou ao RH, porém, lá fui despachada de imediato, me disseram que como não tinha quebrado nada e não estava sangrando nada podia ser feito e 2 semanas depois eu já não tinha força,nem movimento no braço além de um torcicolo que não passa nunca, fui ao médico, fiz alguns exames e ele disse que as lesões eram decorrentes de queda ou acidente de trânsito,me restando a opção 1, pois, essa fora o único trauma que tive, foi afastada da empresa que colocou a especie 31,mas o INSS reverteu para o 91, porém a empresa se omitiu em tudo, já 2 intervenções no ombro e preciso fazer mais uma na cervical na esperança de amenizar as dores e o torcicolo, pelo o que vi acho que nem o FGTS eles depositam, será que posso revindicar algo? Se tenho direito o que devo fazer? A Emprese é de grande porte e temos segura de vida,mas nem isso acionaram para que eu pudesse receber o seguro por invadez provisória continuo afastada recebendo um salario minimo até hoje, Será que alguém pode me dá um dica do que fazer? E como fazer?

    Grata

    ResponderExcluir